sábado, 14 de março de 2015

Meu atelier!

Olá, como vão?

Quero postar sobre isso há um tempo, acho que já está arrumado o suficiente para mostrar pra vocês: meu novo espaço criativo, meu atelier! <3

Como vocês sabem (eu acho), eu mesma faço boa parte das minhas roupas, e também peças para vender e algumas encomendas. Além disso, estou no 4º ano da faculdade de Moda e vou ter que criar mais peças ainda. Fazer tudo isso em casa já não estava mais dando certo: não cabia mais nada no quarto, a sala ficava uma bagunça e era difícil me concentrar.

Foi aí que surgiu a ideia de alugar uma sala para montar o atelier! Eu e minha mãe pintamos, reformamos móveis antigos, compramos alguns novos, e pouco a pouco estou decorando e deixando tudo com a minha cara.

♦ Antes

A sala veio assim, lilás (blergh) e bem vazia! Tem uma antessala/recepção, uma divisória de gesso, a sala maiorzinha e no fundo uma mini-copa e banheiro.



♦ Durante


Uma das primeiras coisas que fizemos foi mudar a cor das paredes lilases. A da sala principal ficou branco-gelo para manter o espaço iluminado, assim como uma das paredes do banheiro (sem fotos, desculpem). A tinta branca, quando ainda úmida, pareceu escura e amarelada, mas depois de secar ficou perfeito!

 Glamour = 0

A parede da recepção eu queria porque queria que fosse vermelha, e foi assim que descobri que tinta vermelha é um negócio complicado. Optei por comprar uma tinta já pronta, feita na verdade para pisos.


Parecia muito bonita na cartela e nas amostras, um vermelho sangue, mas tomei um susto ao abrir a lata e me deparar com um vermelho berrante tipo aquele do MS Paint. Foi aí que notei o nome da cor: "Vermelho Emergência", as in vermelho de sinalização de extintor.

O jeito foi usar essa tinta mesmo, torcendo muito para ficar mais bonita e escura ao secar, ou teríamos que pintar tudo de novo. Manchou muito nas primeiras demãos, levou umas 4 camadas para cobrir.

Finalmente, quando secou, ela escureceu! Ainda é um vermelho chamativo, mas ficou bem bonito, estou satisfeita com a cor.






O próximo passo eram os móveis. Compramos logo uma arara de roupas e um manequim, que eu forrei para ficar mais macio e bonitinho. Tive uma dificuldade enorme em encontrar mesas adequadas para corte e costura, e acabei escolhendo reformar uma mesa que tinha em casa desde que eu me entendo por gente.

Eu lixei a mesa toda, minha mãe cobriu com tinta spray preta fosca. Mais pra frente tem fotos dela pronta, inclusive com o tampo que cobri com oleado (aqueles plásticos de toalha de mesa)!


 

Compramos também uns banquinhos de madeira bem simples e pintamos com o que sobrou da tinta vermelha. Bancos coloridos assim são vendidos por mais de R$100 em lojas, vale muito a pena pintá-los em casa!

Tá ficando!

Bem, ainda precisava de algo para guardar meus materiais de trabalho, e a solução foi um armário super simples. O montador só poderia vir à noite, então eu tive a brilhante ideia de falar que ele não precisava vir, eu ia montar sozinha o armário. Porque eu sou muito habilidosa e experiente. Só que não.

AAAAHHHH!

Depois de umas 3 horas isso foi tudo o que consegui fazer


Aí eu desisti e liguei de novo pro moço que ia montar. Ele veio e montou tudo profissionalmente em uns 30 minutos, foi super caprichoso e ainda fez o favor de furar a parede para eu pendurar um quadro. 

Moral da história: chave de fenda velha não serve, tem que ter aquela furadeira mágica do moço.

Depois disso foi uma boa faxina, os acessórios e toques finais: toalhas, lixeiras, cabides, coisinhas para decorar e, claro, todos os meus tecidos, máquina de costura, aviamentos, réguas e um rolo gigante de papel kraft.






♦ Depois

Tchã-rã! Ou quase. Pra mim decoração é um processo longo: conforme eu vou usando o atelier, eu vou notando que preciso de certas coisas, ou que algo não está sendo funcional, e mudando de acordo.

~ Entrada ~

Molduras provençais com estampas provençais <3
Eu realmente espero conseguir uma cadeira antiga para colocar nesse espaço.

~ Sala de Trabalho ~




Nesse espaço eu ainda gostaria de ter uma mesa só para a máquina de costura, uma cortina e flores para a janela, um espelho de corpo inteiro e provavelmente precisarei de outro armário.

Estou amando trabalhar no atelier. É tranquilo, confortável, e me ajuda a concentrar e produzir mais. Com dá pra ver, já tem algumas coisas na arara e no manequim, e outros projetos em andamento. Quero terminar tudo logo e disponibilizar na loja no Facebook!

Outra coisa legal é que vou dar aulas de desenho aqui: básico, desenho de moda e mangá. Quem é de Atibaia (ou vai só visitar) pode marcar um horário para ter aulas de desenho, dar uma olhada nas peças a pronta entrega ou simplesmente conhecer o atelier!

Fica na Al. Lucas Nogueira Garcez, 1329, Sala 10. É importante marcar horário porque eu não fico lá o dia todo, por conta da faculdade.


É isso, pessoal! Espero que tenham gostado tanto quanto eu, e que venham me visitar um dia desses! 
Se quiser saber onde consegui ou o preço de algo, é só deixar um comentário ;)

Até a próxima!

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

LBC: Who inspires you in Lolita?

Hello!

It's been a long time since my last LBC post. In fact, it's been a long time since my last post written in English! But today I'm correcting that. I've made a post about lolitas that inspire me before, and here are another 3 lovely ladies with a superb sense of style.

Obsixwi


I am fascinated by Obsixwi's completely black wardrobe (with tiny bits of white and grey). She wears exclusively kuro lolita, and it is glorious.

Thanks to the color limitation, her outfits rely on a lot of different textures, subtle black-on-black prints, and interesting designs.

Her coords are a great inspiration on how to bring out all the little details in the clothes, instead of going heavy-handed with the accessories and jewelry.

Also she seems like a nice person and her cat is adorable.














Fanny is a beautiful canadian lady with a vintage style. She wears many fashions other than lolita, always with that classy vintage look.

This is why I think she is a great inspiration: she gives lolita fashion her own spin, and makes it something that reflects her personality - instead of worrying too much about rules and guidelines.

With a wardrobe like this, it seems easier to mix-and-match pieces from different styles, since they all have a common thread.


Siriusc


Marie is a french lolita who posts these beautiful, artistic pictures of her coords. She wears a lot of black and white, and also aristocrat.

Many of her outfits have a historical vibe, and she invests in awesome headwear: hats, crowns, huge corsages and veils.

She inspires me because her outfits manage to be bold and interesting without being over-the-top. She chooses great main pieces and the right accessories to balance them out.











One other thing I like about these ladies is that all of them rock their natural hair! Nowadays it almost seems like wearing a wig is an obligation, but these pictures prove otherwise.

Recently I've felt like I need to bring my wardrobe a step up, and writing this post actually helped me find a direction to follow.

Check out who inspires other lolitas:




Thank you for reading, see you next time!

domingo, 1 de fevereiro de 2015

+ Diversão em Atibaia

E aí, pessoal?

Bem, a Janna queria nos visitar em Atibaia novamente (sempre bem-vinda <3) então combinamos uma programação com nós duas, Karine, Carol e Hudson. Tá ficando animadinha essa cidade, hihi.

De manhã fui buscar a Janna na rodoviária, já que ela iria dormir aqui em casa. Aproveitamos para conversar, assar cupcakes de cenoura e fazer ganache, mas não deu tempo de terminar de confeitar antes de a nossa carona chegar.

Primeiro fomos à sorveteria Nevaska, onde tomamos esses sorvetes gigantões! Só não me toquei que ia vir com chantilly e cereja D:
Mesmo assim, estava uma delícia. O meu era de brigadeiro e prestígio.


Eu achei que a Janna gostaria de conhecer o teleférico da cidade, que passa sobre o Lago do Major e entre as árvores, e essa foi a próxima parada.

O Parque/Lago




Passamos sobre o novo jardim japonês, espero poder tirar fotos lá quando o laguinho estiver cheio <3





Já tinha feito esse passeio de teleférico algumas vezes, e é sempre muito relaxante. Em alguns trechos, dá pra roçar com as mãos nas folhas das árvores altas, e a visão lá de cima é bem bonita. 

Como deu pra ver pelas fotos, o assento é bem aberto e naturalmente balança um pouco, mas pra quem não tem medo de altura vale muito a pena! Só tive medo de derrubar o celular ao tirar fotos...

Custa R$10 ida e volta, mas só subimos e seguimos de carro até a próxima parte do nosso roteiro! Moro em Atibaia há eras mas nunca tinha parado para descer no lago do Jardim dos Pinheiros.



Tinha algumas pessoas pescando, pedalando, e uns restos de farofada/churrasco por aí. E nós turistando.

Esse lugar é muito bonito e me deu vontade de fazer um ensaio fotográfico lá, no futuro!




Depois disso passamos de novo na minha casa pra buscar os cupcakes semi-prontos e o pendrive com os filminhos que veríamos na casa do pessoal. A Karine nos mostrou como está ficando a morada nova deles e pude ver de perto seu guarda-roupas divino :D
 
Pipocas de vários sabores feat. cupcakes by Ju & Janna


Assistimos (de novo, no meu caso) a maravilha que é Over the Garden Wall. Sério, é uma gracinha. Minha parte preferida é a trilha sonora!

Foram 10 episódios de uns 10 minutos cada. Como ainda tínhamos um tempinho, começamos a ver um filme muito estranho chamado GBF.

Acabou que ninguém prestou muita atenção nesse filme porque nos empolgamos na conversa, haha. Já estava ficando tarde então eu e a Janna voltamos pra minha casa.


O plano era acordar cedo no dia seguinte para passear mais com todo mundo pela cidade, mas quem disse que queríamos dormir?



Ficamos conversando até bem tarde, comemos cachorro-quente e tentamos assitir A Viagem de Chihiro. Novamente, a conversa nos impediu de prestar atenção no filme.

Pajama Party! (de 2 pessoas)

Acabou que alguns imprevistos nos impediram de realizar os planos para o segundo dia, e acabamos ficando em casa mesmo. Quando a Janna acordou enfim (sério, já estava ficando preocupada lol), passamos o dia batendo papo, vendo vídeos embaraçosos do ensino médio e brincando de maquiar a Janna.

Enfim, divertido pacas.

Esse mês estarei um pouco ocupada, por causa da volta às aulas (último ano em Moda, yay!) e de um ~projeto secreto~, depois conto pra vocês. Talvez não poste com tanta frequência, mas prometo que vai valer a pena!

Até a próxima!

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Comidas e Karaokê

Olá!

Não tirei muitas fotos nesse dia (até porque minha amiga não gosta de sair em fotos, então tenho que desviar dela hihi) mas sempre acho que lugares legais merecem reconhecimento! Já conheci vários lendo outros blogs.

Falando nisso, a primeira parte do passeio foi na Juisi (que minha amiga amou) e B. Luxo Vintage ("hipster demais"). Provei um kilt na B.Luxo, mas sabe quando a peça é linda, cabe - raridade - mas não ~cai bem~? Mesmo assim, fiquei pensando tanto nele que estou quase voltando lá.



Nos perdemos um pouco no caminho, e foi até bom porque encontramos uma Bacio di Latte! Esse sorvete é realmente maravilhoso, o melhor que já comi.

Sempre peço o Cioccolato Nerissimo, que é um chocolate bem amargo e quase preto (sorvete gótico hehe), dessa vez acompanhado pelo meio-amargo São Tomé e Príncipe.

Foi ótimo para aplacar o calor, que naquele dia estava terrível! Não me dou nem um pouco bem no verão, passo mal no calor ):
Mas com sorvete tudo fica bem :3







Depois fomos ao Bom Retiro comer mais, fui conhecer a Fresh Cake Factory, uma doceria coreana muito agradável! Os assentos são poltronas e é bem aconchegante então daria para ficar horas conversando. Chegamos meio tarde então os pães estavam no fim, mas havia vários doces com cara muito apetitosa.



Dividimos uma fatia de bolo de chocolate e eu filei um pedacinho do pão de pizza da amiga. Levei para viagem um pãozinho com recheio de chocolate, delicioso. Foi meu preferido dos três, com a massa muito leve e macia e recheio generoso.

Depois fomos ao karaokê! Já falei algumas vezes que eu amo ir ao karaokê (inclusive acho que deveria ter um meeting num karaokê, o que acham?). Geralmente vamos no Porque Sim, na Liberdade, mas dessa vez testei o Dream 21, bem pertinho da doceria no Bom Retiro.

Se você ainda não assistiu Gravity Falls, vá assistir agora. De nada.



Essa parte realmente não tem muitas fotos porque minha prioridade era cantar o maior número de músicas possível no tempo disponível :D


A maioria das músicas era em coreano, depois inglês e algumas em japonês, mas como não sei cantar em coreano minhas opções ficaram um pouco limitadas... Acabou sendo bem divertido testar músicas novas que nunca tinha cantado antes.

Nos pontos negativos, achei o catálogo deles difícil de usar e não tem aquela maquininha de digitar o nome da música. E é bem caro: R$60 a hora.

O lado positivo é que pode chegar e sair a hora que quiser, pagando pelos minutos que ficar - não precisa fazer a hora cheia. Além disso, o microfone tem tipo um eco que faz você soar melhor. O som é bem alto então dá pra gritar bastante e se soltar. Saí rouquinha!


Se tiverem recomendações de lugares legais assim para visitar, eu adoraria saber!
Até a próxima

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Review: Bodyline Shoes 263

Olá!

Eu achei que já tinha feito review desses sapatos, mas aparentemente esqueci, então aqui vamos nós!

Foto do site da BL

Bem, eu queria muito aproveitar a promoção da Bodyline de 1000 yen de desconto em todos os sapatos + free shipping. Não precisava nem ter me apressado, acho que o Mr. Yan esqueceu de terminar a promoção e está ativa até hoje! Pra quem não aproveitou, ainda há tempo~ haha

Sempre quis ter Rocking Horse Shoes mas em geral são caros, então foi uma ótima oportunidade. O valor no site hoje  ¥2999 ou R$68. Ou seja, valeria muito a pena. Se não fosse lindamente taxado, claro. Historinha de terror:
Eu sempre tento considerar que vai ser taxado e já calcular se mesmo com as taxas o custo-benefício é bom. Nesse caso, pelas minhas contas os sapatos sairiam por R$120, o que eu ainda considero um bom valor para sapatos desse tipo.

Só que, para a minha enorme surpresa quando fui buscar os sapatos na agência dos correios, alguém da alfândega teve a brilhante ideia de ignorar o valor escrito em ienes na caixa e escrever US$50 na caixa, cobrando assim uma taxa de 60% + R$12 em cima desse valor. Ou seja, quase R$90 de taxa. Pelamor.

Havia a possibilidade de contestar essa taxa extremamente abusiva, mas eu teria que deixar os sapatos na agência (depois de meses esperando por eles, com a caixa ali, na minha frente) e *talvez* eles abaixassem o valor. Mas talvez aumentassem. E isso demoraria, teoricamente, 1 semana. 

Recusei, preferi levar minhas belezinhas pra casa, mas me sentindo derrotada e lesada. Depois acabei descobrindo que talvez até tenha sido melhor assim, porque soube de uma amiga que contestou em um pacote e ficou esperando resposta por mais 2 meses. Ou seja, não teria usado o sapato em meetings e festas de final de ano.

Resumindo: paguei ~R$160 com taxas abusivas.

Mas são fofos então okay.

Em geral minha numeração para calçados é 38. Pedi esse no tamanho 250 achando que seria folgado o suficiente, considerando que os RHS da Bodyline são conhecidos por terem forma pequena. Quase não coube! Para ajudar na comparação com outros sapatos da BL, eu uso o modelo 291 tamanho 250, e o modelo 171 no tamanho 245 e me servem muito bem. Esse modelo 263 para mim teria que ser tamanho 255.

Mas como eu sou cabeça dura :D usei todas as técnicas possíveis e imagináveis para lacear e amaciar esse sapato, até que ele entrou bem, andei com ele sem machucar e deu tudo certo. Aliás, se quiserem dicas para alargar sapatos, aprendi várias...



Sobre o sapato em si, é igualzinho às fotos, as medidas da plataforma batem e tudo o mais. O salto é de borracha, não tenho como comparar com o de madeira mas achei legal. Agora, não sei quem disse que andar de RHS é fácil, porque eu não achei!

Treinei andar em casa e quase caí várias vezes, não sei se é porque não estou acostumada com plataformas tão altas, ou porque meus pés têm síndrome de kawaii (joelhos encostando e pés tortinhos pra dentro), mas demorou um pouco para me adaptar.

Ah e dá facilmente pra trocar essas tornozeleiras de spikes por umas mais simples ou pelas clássicas fitas de bailarina, achei bem versátil nesse sentido!

Para minha surpresa, o pessoal de casa até que achou bonito! Só foram inevitáveis as comparações:

Era isso ou a arca de Noé lol

That's all, folks!
Até a próxima~

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Viagem: Atibaia - Recife

Oi, pessoal!

A viagem aconteceu meio inesperadamente, estão nem tive tempo de programar posts para o blog. Me desculpem por isso, mas realmente valeu a pena e foi uma viagem deliciosa. Saímos de Atibaia - SP passando por MG, BA, SE, AL até chegar em Recife - PE.

Fazia uns 3 anos que não visitava minha família em Recife, então já estava na hora de voltar. Meus pais adoram viajar de carro, e já fizemos esse percurso várias vezes, mas eu e meu irmão tendemos a ficar entediados muito rápido.

A principal solução para nós foi levar o notebook e jogar Vampire: The Masquerade - Bloodlines (com pausas periódicas para não ficar enjoada). Mas dessa vez eu tentei encarar o percurso como algo relaxante, o que me fez aproveitar muito mais a viagem e tirar várias fotos!




Milagres - BA
Compramos alguns desses chapéus de bruxa feitos pela Dona Dézinha na ida.

 


Maceió - AL

Passamos pela orla de Maceió ao pôr-do-sol, estava bem cuidada, com decoração bonita e cheia de turistas. Não é por nada não mas acho que Recife podia se inspirar um pouco mais neles.

A previsão era fazer a viagem de ida em 4 dias (3 era um sonho), mas acabamos fazendo em 5 por conta do trânsito em MG e porque paramos para dormir em Maceió, sem saber como estaria a estrada dali até Recife. No outro dia descobrimos que estava ótima e daria para ter economizado um dia. Valeu a pena porque é um percurso muito bonito.


Fui com meu irmão, primo e algumas de suas amigas do Clube da Fênix assistir Big Hero 6 no Shopping Recife. Gostei bastante desse filme! O Baymax é uma gracinha. A decoração de Natal do shopping era bem legal com esses ursões de pelúcia. Descobrimos em primeira mão que eram infláveis, e não cheios de espuma :x



Dia 27 era aniversário do meu irmão então fomos à Perini do Shopping Rio Mar para tomar café da manhã e comprar o bolo. O croquete de camarão é divino~ Adoro camarão hihi. O bolo prestígio também era bem gostoso. À noite fomos ver o show de aniversário da banda Pressão Alta, o vocalista foi professor da minha mãe e da minha tia no ensino fundamental!




 Fizemos um passeio histórico com a cunhada e minha sobrinha mais velha. Passamos pelo Parque das Esculturas de Francisco Brennand, Marco Zero e Porto do Recife, com pausa para tomar sorvete da FriSabor.



Infelizmente a passagem pelo Recife Antigo teve que ser bem rápida. É um bairro cheio desses casarões maravilhosos e coloridos! Essa fiação toda deveria ser embutida para podermos apreciar as construções.



À noite fizemos um passeio de Catamaran. É um barco que passa pelas pontes do Recife. Foi mágico, mais do que eu esperava.
A guia explicava a história de cada construção e, cada vez que passávamos por baixo de uma das pontes, todos batiam palmas para "acordar os anjinhos" e fazer um pedido.


A "trilha sonora" do passeio também foi muito bem escolhida, e por ser de noite (também existem roteiros de dia) a temperatura e a brisa eram muitos refrescantes.

É um passeio que com certeza faria de novo, talvez até um percurso mais longo e passando pela famosa "Cruz do Patrão".

Além disso tudo, ainda deu tempo de fazer um passeio fantástico em Porto de Galinhas, tomar banho de mar, comprar um monte de bugigangas, ver um monte de artesanato recifense, conhecer o mercadão, e ficar em casa assistindo filmes no Netflix e brincando de "quem sou eu"/"jogo da testa" :P
Sem fotos dessa parte porque não consigo encontrar a minha câmera digital, espero não ter perdido na viagem!



Vista privilegiada do apartamento dos meus tios. 

Deixamos Recife na madrugada seguinte ao Ano Novo, para mais 4 dias de viagem de volta para casa. Preciso admitir que a viagem de volta, apesar de ainda agradável, não conseguiu ser tão interessante quanto a de ida. Primeiro, por termos que nos despedir da família, e depois, porque as paisagens eram praticamente as mesmas que já tínhamos visto, haha.

Cachorrinho na igrejinha.



Caminho para pegar a balsa <3

Eu me diverti muito nessa viagem, acho que foi uma das que mais aproveitei e fiz atividades diferentes. Espero poder conhecer as lolitas pernambucanas da próxima vez.
E vocês, como foram de férias?